Em Pauta

Cardiologia: como identificar um distúrbio cardíaco e quando encaminhar o paciente para o implante de marca-passo ou desfibrilador

Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas promove evento sobre o atendimento ambulatorial ao paciente com parada cardíaca e a indicação de implante de marca-passo ou desfibrilador

O Brasil contabiliza, todos os anos, mais de 320 mil mortes súbitas decorrentes de arritmias cardíacas, doença que atinge, aproximadamente, 20 milhões de brasileiros. Atenta aos fatores de risco, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) quer contribuir para a atualização e qualificação dos cardiologistas brasileiros através de seu Programa de Educação Continuada – PrECon. O evento será realizado em Salvador (BA), nos dias 7 e 8 de outubro.

Além de cardiologistas, o PrECon também destina-se aos médicos clínicos, que diariamente fazem o primeiro atendimento nos diversos ambulatoriais e prontos-socorros do país. O primeiro atendimento a uma vítima de parada cardiorrespiratória, assim como de arritmias cardíacas, é importante para o correto tratamento e sobrevida. “A SOBRAC quer, cada vez mais, realizar eventos como esse, que visam treinar os profissionais para que possam identificar corretamente um distúrbio no ritmo do coração e também como devem proceder no tratamento ou encaminhamento para um especialista em arritmias cardíacas, seja arritmologista ou eletrofisiologista”, frisa o coordenador local do PrECon, o arritmologista baiano Dr. Alexsandro Fagundes.

O Programa de Educação Continuada também abordará questões como as melhores técnicas para o tratamento das arritmias cardíacas. A proposta visa esclarecer aos médicos quando há a necessidade de encaminhamento do paciente para a realização de uma ablação por cateter, procedimento realizado em casos de insuficiência cardíaca, e ainda sobre o implante de marca-passo ou desfibrilador.

As técnicas que serão apresentadas referem-se às arritmias cardíacas e, em específico, à Fibrilação Atrial (FA), um tipo de arritmia muito prevalente na população em geral. Conforme explica Fagundes, as arritmias apresentam-se de diversas formas, como taquicardias, quando o coração bate rápido demais, e bradicardia, quando as batidas são muito lentas e em descompasso, com pulsação irregular, sendo sua pior consequência a morte súbita cardíaca (MSC).

A cada dois minutos uma pessoa morre subitamente no Brasil, sendo que 80% destas mortes são provocadas por algum tipo de arritmia cardíaca. Além da MSC, as arritmias também podem provocar parada cardíaca e o Acidente Vascular Cerebral (AVC, ou derrame). Neste último caso, há alta incidência em pacientes com Fibrilação Atrial, associada ao avanço da idade, sobretudo entre pessoas com mais de 75 anos. No Brasil, a estimativa é que a FA atinja nos próximos anos cerca de 5-10 % da população – mundialmente, a incidência é de 2,5%, o equivalente a 175 milhões de pessoas.

O maior problema da Fibrilação Atrial é o risco para o acidente vascular cerebral. Cerca de 20 a 30% deles são de origem cardioembólica. “Saber prevenir, diagnosticar e tratar corretamente uma arritmia cardíaca implica em cuidar do cidadão, e sua melhor qualidade de vida, e também na saúde pública. O AVC pode ser altamente incapacitante e gerar gastos públicos para os governos”.

Vale destacar que o primeiro e correto atendimento às pessoas com parada cardíaca diminuem as chances de sequelas e complicações maiores. Por outro lado, é preciso ficar atento também aos diversos aspectos de uma arritmia cardíaca, como a Fibrilação Atrial. Em todos os casos, a recomendação é sempre procurar um especialista, eletrofisiologia ou arritmologia, para que verifique o histórico de outras doenças associadas, como hipertensão, diabetes, apneia obstrutiva do sono, entre outras.

Serviço:
Programa de Educação Continuada (PrECon)
Realização: Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC)
Salvador (BA) – 7 e 8 de outubro
Local: Sheraton da Bahia Hotel
Avenida Sete de Setembro, 1537
Horário: Dia 7/10 – das 19h às 22h. Dia 8/10, das 8h às 12horas.
Programação: http://www.sobrac.org/home/?p=21676

Sobre a SOBRAC
Criada oficialmente em 1984, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) é uma entidade médica sem fins lucrativos, afiliada à Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Os objetivos da Sociedade são normatizar as atividades relacionadas às arritmias cardíacas no Brasil, promover o desenvolvimento científico e a valorização profissional da especialidade, além de orientar a população leiga a respeito dos problemas mais comuns ligados às arritmias cardíacas e morte súbita, por meio de campanhas educativas. Para isso, realiza periodicamente o Programa de Educação Continuada (PreCon), anualmente o Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas, maior evento do gênero da América Latina, e a Campanha Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita, intitulada Coração Na Batida Certa, a qual instituiu o dia 12 de novembro para suas mobilizações junto ao público leigo, com ações desenvolvidas por associados e parceiros da Sociedade.

Site SOBRAC: www.sobrac.org