Em Pauta

XXX Congresso Brasileiro de Cefaleia 2016: Um dos maiores especialistas em cefaleia do mundo discute o tratamento da enxaqueca crônica

Entre os dias 13 e 15 de outubro acontece, na cidade Ribeirão Preto (SP), o XXX Congresso Brasileiro de Cefaleia, que reunirá especialistas nacionais e internacionais para discussão das terapias mais inovadoras para as dores de cabeça.

Promovido pela Sociedade Brasileira de Cefaleia, o evento terá como um dos destaques o Simpósio de atualização no tratamento da migrânea crônica - popularmente conhecida como enxaqueca crônica – com a presença de um dos maiores especialistas no estudo de cefaleia do mundo, o Dr. Peter Goadsby, professor de neurologia da Universidade da Califórnia e King’s College de Londres.

O neurologista inglês discorrerá sobre dois pontos cruciais para conseguir bons resultados no controle da doença: o perfil do paciente com enxaqueca e sua expectativa em relação ao tratamento. Poucos pacientes recorrem a um especialista quando o assunto é dor de cabeça. A maioria apela para a automedicação, lançando mão do uso de analgésicos comuns, classe de remédios mais consumida no Brasil. Desta forma, a enxaqueca pode assumir caráter crônico (enxaqueca crônica), com cefaleias diárias que ocorrem por 15 dias ou mais por mês, durante três meses consecutivos. Dados da literatura apontam que apenas 40% dos pacientes portadores de enxaqueca crônica procuram o médico e destes 40%, apenas 20% são diagnosticadas corretamente. Ou seja, menos de 10% dos pacientes é tratado de forma correta.

Além desse tema, o Simpósio também abordará perfil do paciente, mecanismo de ação da toxina botulínica para pacientes com enxaqueca crônica, técnicas de aplicação para otimização de resultados além de perspectivas futuras no tratamento da doença.

A aplicação da toxina botulínica no tratamento preventivo da enxaqueca crônica é uma das opções mais recentes disponíveis, e também incluída no “Consenso Latino-americano para as Diretrizes de Tratamento da Migrânea Crônica” e recentemente nas “Diretrizes da Academia Americana de Neurologia”. Como a doença não tem cura, a aplicação do medicamento melhora a qualidade de vida dos pacientes por reduzir o número de dias de dor, conforme demonstrado no estudo PREEMPT (Phase III Research Evaluating Migraine Prophylaxis Therapy) - o maior programa clínico já realizado sobre a enfermidade - que envolveu 1.384 pacientes de 122 centros da Europa e EUA.

Para o neurologista Dr. Elcio Piovesan, o Simpósio é de grande importância para promover a atualização e capacitação dos profissionais acerca das terapias mais recentes e eficientes para conter a dor de cabeça, uma vez que grande parte da população ainda está à margem destes tratamentos.

“Ainda existe desconhecimento de parte da classe médica em relação ao mecanismo de ação da toxina botulínica. Os atuais medicamentos profiláticos orais disponíveis no arsenal terapêutico do médico não foram desenvolvidos com a finalidade de tratar a enxaqueca, e dados da literatura apontam que a taxa de adesão aos medicamentos profiláticos orais é baixa, visto que apenas 20% dos pacientes permanecem em tratamento após 12 meses. A principal causa da descontinuação é por efeitos colaterais. Em pesquisa realizada com médicos evidenciou-se que os profissionais do Brasil chegam a prescrever cerca de seis medicamentos profiláticos orais antes de indicar a toxina botulínica, devido a uma concepção de que deixar o procedimento “invasivo” como última opção seria o mais adequado, quando não precisa ser.”, relata Dr. Elcio.

Como atua a toxina botulínica no tratamento da enxaqueca crônica

O procedimento com BOTOX®, primeira toxina botulínica aprovada para tratamento profilático para a enxaqueca crônica pela ANVISA, é injetada por via subcutânea em 7 grupamentos musculares através de pontos específicos da cabeça, do pescoço e na porção mais alta do tronco, impedindo a liberação de neurotransmissores relacionados à dor, ou seja, inibindo a sensibilização do sistema nervoso central em resposta à dor.

Com aplicações em intervalos de três meses, a terapia tem se mostrado bastante eficaz na redução do número de dias de cefaleia, na duração das crises, na intensidade das dores e principalmente na melhora da qualidade de vida dos pacientes.

Por dentro da enxaqueca crônica:
- Existem mais de 150 tipos de dor de cabeça (cefaleia)². Entre elas está a enxaqueca crônica, que atinge aproximadamente 2% da população mundial, aproximadamente 4 milhões de pessoas no Brasil. É a terceira doença mais prevalente e a sétima causa de incapacitação no mundo4.

O tratamento da enxaqueca crônica deve priorizar duas ações de tratamento, sendo uma de profilaxia, ou seja, visando prevenir ou inibir os episódios de crise, e outra de controle das crises já instaladas. O tratamento preventivo pode ser feito com medicamentos orais como antidepressivos, anticonvulsivantes e betabloqueadores, e a aplicação de toxina botulínica A. Já as crises são tratadas com medicamentos analgésicos que devem ser orientados pelo neurologista para que sejam consumidos corretamente e evitem o excesso de consumo e dependência das drogas e até a piora do quadro.
Sobre BOTOX® (toxina botulínica A*)

A aplicação de BOTOX® ficou famosa no mundo todo pela indicação cosmética, no tratamento das rugas de expressão. No entanto a substância foi descoberta para o tratamento terapêutico e aprovada, em 1989 (pelo FDA, nos Estados Unidos), como uma alternativa para tratar o estrabismo.

No Brasil, a primeira toxina botulínica a ser aprovada foi BOTOX®, marca comercial da Allergan, em 1992, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), para fins terapêuticos. Hoje, BOTOX® possui onze indicações aprovadas no País: distonia, estrabismo, blefaroespasmo, espasmo hemifacial, distúrbios do VII par craniano, linhas faciais hipercinéticas, espasticidade em adultos e crianças acima de 2 anos, hiperidrose, bexiga hiperativa idiopática, hiperatividade do músculo detrusor da bexiga e migrânea crônica, popularmente conhecida como enxaqueca crônica.

XXX Congresso Brasileiro de Cefaleia – XI Congresso de Dor Orofacial
Local: Hotel JP / Ribeirão Preto (SP) – Via Anhanguera, KM 306,5
Data: 13 a 15 de outubro de 2016
Inscrições: http://bit.ly/2dmJys7

Simpósio Allergan - Atualização no tratamento da migrânea crônica
Local: Hotel JP / Ribeirão Preto (SP) – Via Anhanguera, KM 306,5
Data: 14 de outubro
Horário: 12h30 às 13h30
Informações e inscrições no site: http://bit.ly/2deKHCA

Referências:
1. Aurora SK, et al. OnabotulinumtoxinA For Treatment Of Chronic Migraine: Results From The Double-Blind, Randomized, Placebo-controlled Phase Of The PREEMPT 1 Trial. Cephalalgia. 2010;0(00):1-11. Available at http://cep.sagepub.com/content/30/7.toc. Last accessed September 8, 2010.
2. Deiner HC, et al. OnabotulinumtoxinA For Treatment Of Chronic Migraine: Results From The Double-Blind, Randomized, Placebo-Controlled Phase Of The PREEMPT 2 Trial. Cephalalgia. 2010;0(00):1–11. Available at http://cep.sagepub.com/content/30/7.toc. Last accessed September 8, 2010.
3. Headache Classification Committee of the International Headache Society (IHS). The International Classification of Headache Disorders, 3rd edition. Cephalalgia 2013;33(9):629–808.
4. Ahmed F et al. Chronic daily headaches. Ann Indian Acad Neurol 2012;15(Suppl 1): S40–S50.
5. Natoli J et al. Cephalalgia. 2009 Sociedade Brasileira de cefaleia. [acesso em 2015 jul 14]. Disponível em: http://www.sbce.med.br/
6. CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE CEFALEIAS – TERCEIRA EDIÇÃO (ICHD-3 beta) – Tradução portuguesa 2014. [acesso 2015 jul 13]. Disponível em: http://www.ihs-headache.org/binary_data/2086_ichd-3-beta-versao-pt-portu...