Em Pauta

Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas: Campanha pública alerta para a Fibrilação Atrial, arritmia que é uma das principais causas do Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Com ações em todo território nacional, a campanha Coração na Batida Certa 2016
quer conscientizar a população leiga para a prevenção, identificação e tratamento das
arritmias cardíacas

Em 2016, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) realiza a 10ª edição
da campanha Coração na Batida Certa. As ações ocorrem em 12 de novembro, no Dia
Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita. A Campanha teve início
de 2007 com o objetivo central que mantém até hoje, ou seja, ensinar a reconhecer e
prevenir a população leiga sobre essa doença, que acomete mais de 20 milhões de
pessoas e é responsável por mais de 320 mil mortes súbitas todos os anos no Brasil.
“Cada vez mais a nossa campanha foca na Fibrilação Atrial, um tipo de arritmia cardíaca
que é a principal causa do Acidente Vascular Cerebral e que ocorre principalmente na
população idosa”, explica a Presidente da SOBRAC, a cardiologista Denise Tessariol
Hachul.

As ações da campanha ocorrerão em todo território nacional, em locais públicos e
privados, como praças, parques, shoppings centers, hospitais, aeroportos, calçadões,
academias, universidades, entre outros. O slogan de sustentação da campanha é “Não
deixe seu coração sair do ritmo”.

Para a realização das atividades da Campanha, a SOBRAC contará com a participação
voluntária de médicos associados à entidade, residentes e outros profissionais da área
da saúde. Serão ministradas palestras sobre a importância da prevenção das arritmias
cardíacas e demonstrações práticas de como identificar a irregularidade do coração, por
meio do autoexame do pulso, além de apresentações de como reconhecer quando um
indivíduo tem uma parada cardiorrespiratória e orientações sobre o uso o DEA
(Desfibrilador Externo Automático), aparelho que deve existir em todos locais públicos
e pode ser acionado por qualquer pessoa, desde que tenha tido treinamento prévio para
isso.

Sintomas das Arritmias Cardíacas

Os principais sintomas das arritmias cardíacas são cansaço de início recente, palpitações,
desmaios, tonteiras, confusão mental, fraqueza, pressão baixa e dor no peito.

Entre os diversos tipos de arritmias, existem as que se caracterizam pela irregularidade
do ritmo cardíaco, como no caso da Fibrilação Atrial, a mais frequente em especial na
população acima dos 60 anos de idade – a doença atinge, aproximadamente, 175
milhões de pessoas de todo mundo. Como o envelhecimento populacional, a tendência
é de um aumento de 5 a 10% desta arritmia no Brasil nos próximos anos.

O ritmo e a frequência cardíaca com que o coração bate deve acompanhar as atividades
de todos os indivíduos em determinado momento e, na grande maioria das vezes, tem
variação de 60 a 100 batimentos por minuto (BPM). Em algumas situações, como
durante exercícios físicos de alta intensidade, estes batimentos podem ir muito além
dos 100 bpm. Por outro lado, quando dormimos ou estamos em repouso, a frequência
pode ficar abaixo dos 60 bpm.

Os distúrbios do ritmo cardíaco, que ocorrem fora de situações normais, são chamados
de Arritmias Cardíacas.

Fibrilação Atrial

A Fibrilação Atrial caracteriza-se pela irregularidade dos batimentos cardíacos. A
principal e pior consequência dessa doença é o Acidente Vascular Cerebral (AVC),
popularmente conhecido como derrame cerebral. Em todo mundo, AVC acomete 16
milhões de pessoas. Dessas, seis milhões morrem todos os anos. A Organização Mundial
de Saúde (OMS) recomenda a adoção de medidas urgentes para a prevenção e seu
tratamento.

No AVC, um coágulo se desprende de dentro do coração, motivado pela arritmia
irregular – Fibrilação Atrial. No momento em que os átrios perdem a capacidade de se
contrair de forma regular e começam a fibrilar, apresentam contrações desordenadas
do músculo cardíaco. Assim, deixam de enviar de forma adequada o sangue para os
ventrículos. Ao ficar estagnado, pode criar grandes coágulos que, quando se soltam,
entram na circulação sanguínea e bloqueiam as artérias do cérebro, o que provoca o
AVC. Este coágulo no cérebro pode deixar sérias sequelas no paciente.

A Fibrilação Atrial pode ser facilmente identificável por qualquer pessoa, por meio do
autoexame do pulso. A fórmula é muito simples: com os dedos indicador e médio sobre
a região do antebraço onde existem impulsões que refletem os batimentos cardíacos,
conta-se o número de impulsões por 15 segundos e multiplica-se o valor por 4: o
resultado é a frequência cardíaca, ou seja, o número de batimentos por minuto (BPM).
Quando este número está abaixo dos 60 bpm, detecta-se uma bradicardia - entre 30-40
bpm pode ocorrer a falta de oxigenação cerebral, provocando tonturas, desmaios. Se
estiver acima dos 100 bpm, trata-se de uma taquicardia.

Saiba +: Vídeorreportagem Fibrilação Atrial: https://www.youtube.com/watch?v=cGHObwix-1c
Saiba +: Vídeo Surpresa no Aeroporto de Congonhas (SP) – Este homem vai ter uma
parada cardíaca: https://www.youtube.com/watch?v=rDRdhDySac4
Saiba +: Música e coração têm algo em comum… Quer saber?, com Fabio Brazza: https://www.youtube.com/watch?v=fgcJNj1wz5g

Tratamentos

O tratamento da Fibrilação Atrial deve ser conduzido por um arritmologista ou
eletrofisiologista, especialidades da cardiologia que se dedicam às arritmias cardíacas. A
doença pode ser tratada com a intervenção de antiarrítmicos, medicamentos para
corrigir doenças de base e deixar o coração menos vulnerável às arritmias cardíacas.
Quando os medicamentos não atuam de forma esperada, a ablação por cateter pode
trazer maiores benefícios ao paciente. Numa primeira intervenção, a probabilidade de
resolução tem até 70% de sucesso. Porém, em 30% dos casos há necessidade de um
retoque com ablação, quando uma segunda abordagem pode eliminar a Fibrilação Atrial
em definitivo em 90% dos casos.

Coração na Batida Certa - SOBRAC
#coraçãonabatidacerta

Site: www.sobrac.org/campanha

Sobre a SOBRAC

Criada oficialmente em 1984, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) é
uma entidade médica sem fins lucrativos, afiliada à Sociedade Brasileira de Cardiologia
(SBC). Os objetivos da Sociedade são normatizar as atividades relacionadas às arritmias
cardíacas no Brasil, promover o desenvolvimento científico e a valorização profissional
da especialidade, além de orientar a população leiga a respeito dos problemas mais
comuns ligados às arritmias cardíacas e morte súbita, por meio de campanhas
educativas. Realiza periodicamente o Programa de Educação Continuada (PrECon) e
anualmente o Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas, maior evento do gênero da
América Latina, e a Campanha Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte
Súbita, intitulada Coração Na Batida Certa, instituída no dia 12 de novembro.

Site: www.sobrac.org